quinta-feira, 24 de julho de 2014

Vivo na Terra do Nunca

Ontem estava triste. Mesmo triste. Já comentei que andava há quase 24 horas num choro permanente, confesso que parei durante uma hora... e comentei com um amigo que não queria falar, a conversa do costume. Há certos amigos que estão tão do lado de dentro, e, como é o tal amigo desde sempre, de vir cá a casa, decretou logo um  "despacha-te que vou passar aí, vamos apanhar ar".
Já vos disse o quanto detesto que me deem ordens?
E não vou, e é tarde, tenho a cara inchada, não estou maquilhada, estou feia, estou mal vestida, passei o dia a chorar, não quero ver ninguem...
Mas isso resulta? Não com ele. É tão chato... mas tão irritantemente chato... teimoso. Amigo, pronto.
Ahhhhhhhh, se fosse uma amiga jamais me levava a sair de casa! Nem um amigo, mas este... tem uma arte que eu ainda não descobri qual, que ainda estou  no computador a dizer que não, já está na  minha sala a dizer adeus a toda a gente e a arrastar-me para o carro...
Tenho PENA da mulher que tiver que ficar com ele para a vida. Juro. Implicante, vai o caminho todo a por defeitos em tudo o que faço, a dizer o que devo fazer, a agendar-me os próximos dias, e que devo passar menos tempo no blogue, e que tenho que sair mais, e preocupar-me menos, e cuidar mais de mim, e depois toma as minhas dores chamando nomes a quem me prejudica.
Dessa parte gosto. Acho fofo.
A amizade nem sempre é passar a mão na cabeça e dar palmadinhas nas costas. 
Mas caramba!
Há dias em que estamos tão frageis.
É esta a nossa amizade.
Se bem que não vou lá com ralhetes.
Mas entendo a preocupação.
Sou só eu que tenho amigos loucos?
Tão loucos que largam tudo para vir ralhar comigo?
Pessoas estranhas atraem outras iguais.
É esta a forma que temos de gostar e nos preocuparmos um com o outro. Mas eu não ralho.
Nunca.
Faço birras...
Sim, sim. 
Claro que com esta carrada de defeitos é importante.
Como não seria?
And this is my Neverland.





4 comentários:

  1. Por acaso tenho uma assim, e agradeço todos os dias por a ter!! Dá na cabeça a torto e a direito mas é uma das pessoas mais fascinantes que já conheci... Tens sorte de ter assim, esse tipo de amigos.. Sinceridade é com eles =) Continue assim com a Marta que ela bem precisa =) =)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cátia, tu não lhe dês esse tipo de conselhos...
      ja tenho tanta gente a ralhar comigooooooo...
      paternalistas e maternalistas na minha vida não me faltam !
      Mas é especial sim. Nem que seja por me surpreender o que é muito dificil.

      Eliminar