segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Perturbas-me(a verdadeira 3º parte)

"Lembro -me de te abrir a porta e ver os olhos a brilhar. Reparar num rapaz com um look neo 80's com um blusao de cabedal e assim que me cumprimentastaste pude comprovar a legitimidade. Atrapalhada, convidei-te para entrar, avisando que o Miguel estava a dormir.Quiseste espreita- lo no berço e sorriste.
Sentei - me na cama e fiquei sem assunto.
Nunca me tinha acontecido nada assim.
"Então? Estas bem? " Perguntaste enquanto me olhavas nos olhos e eu sentia um ardor no rosto .
Tu sorrias.Sempre me soubeste ler os pensamentos  .Eu sequer te conseguia olhar nos olhos e tu parecias divertir- te a valer com isso.
Deste me uma tregua, falando no trabalho, que estarias uns meses por aqui. De alguma forma soubeste-me acalmar, tudo o que eu não queria era conhecer-te à pressa.
Agarraste me na mão. Beijaste -a. 
De seguida aproximaste -te... bem devagar de mim, como que em sinal de permissão. Juro que por segundos tive para dizer que era melhor parar! Mas os teus olhos... tens uns olhos que acariciam. E deixei envolver-me nos teus braços, nos teus lábios ...
Quando tiraste o casaco, lembro -me de sentir os teus braços e ombros, fortes, e da forma como me agarravam e protegiam num abraço. Como as tuas mãos pareciam ser donas de cada parte do meu corpo. Naquela noite e em muitas que passamos juntos, fizeste- me sentir uma Deusa , idolatrando cada parte de mim e a mim por inteira. Desejando-me cada dia mais. Telefonando-me 20 vezes por dia ainda que fossemos estar juntos. O Miguel começou a andar entretanto e ia buscar -te á porta , chamava-te o "tinho ". Ias mais cedo para que ele adormecesse entre nos. Ou melhor, contigo...
Passavamos horas em que imaginavas como seria o futuro do Miguel , quase te colocando no lugar do pai que ele não teve. Ainda bem que nunca me agarrei a essa historia.
Sabiamos que em breve o teu trabalho por ali acabaria. E como tal acabaria tambem a nossa historia.
Passados muitos anos já não há lugar para nós.
Foste o primeiro a dizer .
Eu romantica e crente ainda no amor q nao tinha passado pensei que se nos vissemos tudo fosse magico de novo.
Enganei -me.
Eu sou muito infantil. Acreditei ate ha uns meses em contos de fada.
Neste momento acredito no aqui e no agora. Nem depressao nem ansiedade.
Hoje é o dia.
Ensinaste-me muito sobre mim. Melhor aprender de alguem q se ame.Hoje o amor acabou.
Tita "

8 comentários:

  1. :,( :,(.. Eu a pensar que ia tomar um rumo e pumba foi por outro completamente diferente... Muito bom!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há muito que dizer ... muito Catia.

      Eliminar
    2. O titulo está no presente. Mas longe de ser uma história triste.

      Eliminar
  2. como seguir este blog? Nao encontro a aplicação! =S

    ResponderEliminar
  3. Já pensaste em escrever uma história? jeito não te falta :)

    ResponderEliminar